Registo de algumas análises, farpas e aforismos no Facebook de José Adelino Maltez

05
Abr 11

Chegou ao fim o ciclo dos governos minoritários e já não parece ser

possível até uma mera coligação de aritmética parlamentar absoluta.

Daí que a encenação de campanha da entrevista de Socrates tenha

continuado a exagerar, numa visão da essência da política como guerra

entre amigos e inimigos, exagerando na manha da propaganda, no engodo

da ideologia e na invocação autoritária da razão de Estado. Porque

depois do anúncio da nao recandidatura de Zapatero, do abandono da

presidencia do FDP por parte do ministro alemão dos estrangeiros, todo

o equilibrismo da Interessenpolitik em que assentou o negócio do PEC

em Berlim tornou se um vazio. O ciclo socrático do teatro de gestão de

crises perdeu-se na presente anarquia ordenada. Só um mínimo de

patriotismo científico e de humilde sentido de serviço público nos

poderia ajudar o regime. Mesmo que não perca, este foi o testamento de

um homem que passou.

publicado por José Adelino Maltez às 17:11

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Biografia
Bem mais de meio século de vida; quarenta e dois anos de universidade pública portuguesa; outros tantos de escrita pública no combate de ideias; professor há mais de trinta e cinco e tal; expulso da universidade como estudante; processado como catedrático pelo exercício da palavra em jornais e blogues. Ainda espera que neste reino por cumprir se restaure a república
Invocação
Como dizia mestre Herculano, ao definir o essencial de um liberal: "Há uma cousa em que supponho que ate os meus mais entranhaveis inimigos me fazem justiça; e é que não costumo calar nem attenuar as proprias opiniões onde e quando, por dever moral ou juridico, tenho de manifestá-las"......
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO