Registo de algumas análises, farpas e aforismos no Facebook de José Adelino Maltez

14
Set 11

 

Pedem-me, do Jornal de Negócios, que analise o PS recente: "Para além de um novo ritmo de política europeia, colocando-se na nova frente de oposição federalista aos blocos de direita governantes no Eixo e na Itália, o PS vai tentar ser voz tribunícia das classes e dos novos pobres da presente questão social."

 

António José Seguro e Pedro Passos Coelho, "unidos pelo memorando da troika, continuam a ser meros irmãos-inimigos, enquanto líderes de partidos que costumam ganhar eleições reconquistando sempre o mesmo centrão sociológico beneficiário do distributivismo." 

 

"O PS vai dizer do presente gasparismo, mediaticamente desalvarizado, o mesmo que o PSD disse, há poucos meses, do PEC IV e das políticas de Teixeira dos Santos, usando do mesmo ferro que matou a ala esquerda do Bloco Central".

 

‎"Jerónimo e Louçã não podem passar o certificado de esquerda à pretensa viragem à esquerda do PS...Vão, inevitavelmente, procurar o papel de manipuladores do descontentamento, evitando que o PS procure dar voz a quem não a tem e continua entalado entre os fantasmas de direita, do anti-socialismo, e dos preconceitos de esquerda, do anti-neoliberalismo".

 

PS: A imagem tem uma explicação eucarística

publicado por José Adelino Maltez às 11:57

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Biografia
Bem mais de meio século de vida; quarenta e dois anos de universidade pública portuguesa; outros tantos de escrita pública no combate de ideias; professor há mais de trinta e cinco e tal; expulso da universidade como estudante; processado como catedrático pelo exercício da palavra em jornais e blogues. Ainda espera que neste reino por cumprir se restaure a república
Invocação
Como dizia mestre Herculano, ao definir o essencial de um liberal: "Há uma cousa em que supponho que ate os meus mais entranhaveis inimigos me fazem justiça; e é que não costumo calar nem attenuar as proprias opiniões onde e quando, por dever moral ou juridico, tenho de manifestá-las"......
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO