Registo de algumas análises, farpas e aforismos no Facebook de José Adelino Maltez

04
Jul 11

Sobre a tradicional técnica da caça às bruxas: "Não há mister audácia, nem inteligência, nem ciência – audácia porque o adversário não responde; inteligência, porque o adversário não corrige; ciência porque os únicos que podem corrigir estão sob um sigilo que lhes inibem a correcção" (Fernando Pessoa). Basta vivermos como pensamos, sem pensarmos muito como depois vamos viver.

 

A frase final não é da minha autoria: é do meu querido professor de história do direito em Coimbra, Guilherme Braga da Cruz. Só muitos anos depois, vim a saber das suas íntimas relações com S. José Maria Escrivá. Por outras palavras, nada como a complexidade. O único seguro para o pluralismo que conheço.

 

Outro enigma: depois da sangreira de 1927, Raul Proença ficou refugiado em casa de Afonso Lopes Vieira. Tal como Basílio Teles foi a Tribunal defender o Luís Magalhães, ministro da Traulitânia. Todos faziam parte da velha associação lusitana dos homens livres.

 

Outro enigma: quando o PREC embebedado começou a deter cidadãos sem culpa formada, a ritmo de fotocópia, uma das entidades que se mexeu em defesa das vítimas foi a Liga Portuguesa dos Direitos do Homem. Eu próprio fui intermediário, através do Dr. Contente Ribeiro.

 

Portugal tem quase nove séculos. Faltam 29 anos para 2040...A maçonaria portuguesa é de 1802... 209 anos. Coisas da tradição não se vislumbram com parangonas.

 

publicado por José Adelino Maltez às 13:22

Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15
16

17
19
20
22
23

25
26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Biografia
Bem mais de meio século de vida; quarenta e dois anos de universidade pública portuguesa; outros tantos de escrita pública no combate de ideias; professor há mais de trinta e cinco e tal; expulso da universidade como estudante; processado como catedrático pelo exercício da palavra em jornais e blogues. Ainda espera que neste reino por cumprir se restaure a república
Invocação
Como dizia mestre Herculano, ao definir o essencial de um liberal: "Há uma cousa em que supponho que ate os meus mais entranhaveis inimigos me fazem justiça; e é que não costumo calar nem attenuar as proprias opiniões onde e quando, por dever moral ou juridico, tenho de manifestá-las"......
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO