Registo de algumas análises, farpas e aforismos no Facebook de José Adelino Maltez

24
Jul 11

 

Os principais inimigos confessos da ordem demoliberal,  nos meados do século XIX, dos cristãos-sociais aos se internacionalizavam como socialistas, são exactamente os mesmos que, volvido um século, se tornam os principais gestores da democracia pluralista. Depois, na viragem do milénio, muitos governos de tal modelo passaram frequentados por ex-totalitários, de comunistas a fascistas. Por outras palavras, o nosso regime, ao jogar no risco da tolerância, da reconversão e do arrependimento, tem levado os adversários a sucessivos revisionismos “rerum novarum”. Infelizmente, todo o bem tem pedações de mal, gerando sistemas de fanatismo, intolerância e ignorância. E a besta da tirania não se veste apenas no pronto-a-vestir que alguns vendem no hipermercado da caça às bruxas. Se o maior inimigo da liberdade é o terrorismo, convém não esquecer que o Estado que o tenta combater também já foi um Estado-Terrorista, quando teve a ilusão daquele terrorismo da razão gerido por déspotas esclarecidos ou ditadores-filósofos. Cada um pode escolher o seu fantasma para continuar em preconceito e, até por cá, o filho do rei que aboliu a pena de morte acabou em regicídio, para que o tiro saído pela culatra gerasse republiquicídios, os de 1918, 1921 e 1965. Convinha não deixarmos os assassinos à solta até que o crime prescreva, para que eles se dediquem a produzir contra-informação. Todos os povos têm os terrorismos que não merecem. Até os de brandos costumes.

 

(In Diário de Notícias)

 

publicado por José Adelino Maltez às 15:14

Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15
16

17
19
20
22
23

25
26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Biografia
Bem mais de meio século de vida; quarenta e dois anos de universidade pública portuguesa; outros tantos de escrita pública no combate de ideias; professor há mais de trinta e cinco e tal; expulso da universidade como estudante; processado como catedrático pelo exercício da palavra em jornais e blogues. Ainda espera que neste reino por cumprir se restaure a república
Invocação
Como dizia mestre Herculano, ao definir o essencial de um liberal: "Há uma cousa em que supponho que ate os meus mais entranhaveis inimigos me fazem justiça; e é que não costumo calar nem attenuar as proprias opiniões onde e quando, por dever moral ou juridico, tenho de manifestá-las"......
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO